Blogue

save the date 2020 Pgina 1

No âmbito da celebração do vigésimo aniversário da ATNatureza (Associação Transumância e Natureza, entidade responsável pela gestão da Reserva da Faia Brava) vai decorrer em Figueira de Castelo Rodrigo  nos dias 5 e 6 e 7 de Junho um evento recheado de atividades de natureza dirigido a sócios, amigos, simpatizantes da associação mas também a gestores de áreas protegidas, biólogos, guias,  caminheiros e para  todos os amantes de turismo de natureza que não pode perder!

Marque já na sua agenda, haverá durante os dias 5 e 6 Junho uma Conferência sobre o tema “Áreas Protegidas, Desenvolvimento Local e Ação Climática” que pretende realizar uma reflexão conjunta entre entidades da administração pública, associações e empresas da importância do papel ativo das Áreas Protegidas na promoção de uma desenvolvimento local responsável e participativo nos novos desafios relativos à Ação Climática.

Durante os três dias 5, 6 e 7 de Junho haverá visitas guiadas com interpretação do território, censos de biodiversidade (aves, insetos, répteis), caminhada noturna com observação astronómica e celebração em locais emblemáticos com paisagens belíssimas e onde a Natureza Selvagem não pára de nos brindar.

O programa final será revelado em breve, mas reserve desde já o fim de semana de 5, 6 e 7 de Junho e junte-se a nós neste evento de celebração da Natureza, descubra o património natural e cultural de Figueira de Castelo Rodrigo e o trabalho desenvolvido pela ATNatureza ao longo dos últimos 20 anos.

CONFERÊNCIA | VISITAS GUIADAS | CAMINHADAS | INTERPRETAÇÃO DE NATUREZA | OBSERVAÇÃO ASTRONÓMICA | BIO BLITZ | CELEBRAÇÃO DE ANIVERSÁRIO

 

A ATNatureza está a contratar um novo/a diretor/a executivo!

É criativo/a, dinâmico/a e motivado/a por uma paixão pela conservação da natureza e biodiversidade

e tem uma visão de um mundo em que as pessoas vivem em harmonia com a natureza?

Sente-se desafiado/a a implementar o novo acordo ecológico, com soluções baseadas na natureza e recuperação natural de larga escala,

para ajudar a resolver as emergências climáticas e de biodiversidade?

 

A ATNatureza pretende recrutar um líder experiente com a capacidade de fazer crescer o impacto da organização e as futuras lideranças e talento, na sua posição de diretor/a.

A ATNatureza cria espaços para a natureza, com a Faia Brava como o seu ícon. A nossa missão visa a conservação e a melhoria do património natural no Nordeste de Portugal, através da proteção e gestão de áreas naturais no Côa, Águeda e na região do Vale do Douro.

 

Clique aqui para obter mais informações sobre funções e responsabilidades, perfil, condições e procedimentos.

No passado dia 29 de fevereiro, a ATNatureza promoveu testes de munições sem chumbo para caça maior. Nesta ação participaram caçadores e gestores cinegéticos que ficaram sensibilizados sobre as consequências negativas da utilização de munições com chumbo para as espécies necrófagas e na própria qualidade da carne da caça, que é posteriormente consumida.

Informação e experiência valiosas

Os participantes puderam contactar com informação veiculada por um especialista em munições, que lhes expôs as diferenças técnicas entre as munições convencionais com chumbo e munições alternativas da nova geração, constituídas por ligas metálicas alternativas, isentas daquele metal pesado. Estas munições, para além de igualmente eficazes, ou mesmo superiores, no que respeita ao comportamento balístico, tem a vantagem de não se fragmentarem aquando do embate na peça de caça. “Esta é uma das diferenças fundamentais entre os dois tipos de munições: as munições com chumbo fragmentam-se quando embatem no alvo, sendo que testes efectuados em ambiente controlado demonstraram que, em média, os projéteis com chumbo perdem cerca de 23% do seu peso após o embate, enquanto que as munições de nova geração se mantêm integras”, afirmou o Dr. Rui Pereira (CACICAMBRA), que colaborou nesta experiência. “É também uma forma de promover o aproveitamento integral da carne, dado não ocorrer contaminação da mesma com este tipo de projécteis, ao invés do que ocorre com os de chumbo”.

A perda que se verifica nos projéteis de chumbo corresponde a pequenos fragmentos que ficam geralmente incorporados na peça de caça, contaminando a carne na zona de percurso do projétil. Esta carne não deve ser consumida, nem por humanos, nem pela fauna silvestre, dada a elevada toxicidade deste metal pesado. Estas partículas uma vez ingeridas, são degradadas e absorvidas para a corrente sanguínea, são bio-acumuláveis, podendo desenvolver níveis de toxicidade aguda que podem causar alterações fisiológicas, comportamentais e mesmo a morte.

Workshop    shoot with new ammunition

Realizou-se nos dias 29 de Fevereiro e 1 de Março a oficina de orientar visitas na reserva da Faia Brava.

Esta oficina teve como objetivo capacitar pessoas interessadas em orientar visitas pedestres à Reserva da Faia Brava no trilho dos biólogos. Nesta oficina abordaram-se temas relacionados com a   história da ATNatureza e  Reserva da Faia Brava, a importância ao nível da conservação, espécies emblemáticas e boas práticas de receção e acompanhamento dos visitantes. O grupo de 12 participantes mais o Formador-Guia Marco Ferraz ao longo de dois dias desenvolveu competências para melhorar a sua atividade como Guias de Natureza, ficando no final todos aptos a desenvolver a sua atividade no trilho dos biólogos na Reserva da Faia Brava.

Esta oficina está integrada no programa de formação que a Academia ATNatureza que durante todo o ano irá desenvolver atividades formativas com especial enfoque nas Ciências Naturais e Gestão de áreas para a Biodiversidade, para capacitar Guias de Natureza bem como Proprietários de Terrenos, Gestores de Espaços Naturais, Biólogos, Estudantes entre outros interessados.

A próxima atividade será realizada já no dia 21 de Março “Oficina de Gestão de Pastagens” para a Biodiversidade - Com esta oficina pretende-se dar a conhecer de que forma a gestão sustentável de pastagens e de herbívoros pode promover a biodiversidade e promover a qualidade das pastagens. Faça já a sua inscrição através do e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

      

 

 

No dia 18 de dezembro, a tempestade Elsa atingiu Portugal e Espanha e, no dia 19, a tempestade Fabian atingiu novamente. Na Faia, Brava caiu mais de 100 mm de água em uma semana, com o resultado de que o rio Coa se transformou em num rio impetuoso com pequenos riachos correndo intensamente. Normalmente secos no Verão, transformaram-se em riachos selvagens. Com o período de estio longo e seco na nossa lembrança, é surpreendente ver tanta água fluindo para o oceano.

Toda essa água resultou em grandes lagoas resultado de diferentes intervenções que ao longo dos últimos anos tem sido realizadas para conseguir reter mais água pluvial por mais tempo.  Neste cenário surgem questões:  Como podemos armazenar essa água de maneira ecológica ou sustentável? Podemos impedir que a água vaze rapidamente através das "paredes" dessas lagoas?

A resposta é melhorando a capacidade de retenção destas lagoas e charcas, através da utilização da introdução de materiais impermeáveis como argila, melhor compactação e melhorar a diversidade arbustiva da mesma que permite aumentar a estrutura das mesmas.

Mas nem tudo são boas notícias estas tempestade provocou estragos no nosso viveiro florestal e dessa forma temos que unir esforços para pôr de pé esta estrutura tão importante para a concretização da missão da ATNatureza para continuar a reflorestar a Reserva da Faia Brava com árvores nativas , uma medida importante para a redução do efeito das Alterações Climáticas e melhorar a estrutura e a retenção do solo na Reserva.


new pond at quinta de sol

Grande charca na Quinta do Sol


wild brook

Riachos que correm bravos como a Reserva


destroyed nursery


Estrutura do viveiro florestal destruído


wild brook near Sao Paulo


Wild brook in valley north of Sao Paulo

 

Pág. 1 de 4