Notícias

LIFE Rupis: Alunos de Freixo de Espada à Cinta "de cabeça" na Ribeira do Mosteiro

Realizou-se, no passado dia 15 de Junho, no âmbito do projecto LIFE Rupis, uma visita dos alunos do Agrupamento de Escolas de Freixo de Espada à Cinta à Ribeira do Mosteiro, um Espaço Para a Natureza (EPN) da ATNatureza.

Neste dia, os 75 alunos, acompanhados por professores, funcionários e pela directora do agrupamento, levaram a cabo, por mais um ano, a tradicional caminhada que se iniciou em Poiares.

Depois de uma pequena paragem para o reforço, o grupo iniciou a descida da Calçada de Alpajares, integrante do Parque Natural do Douro Internacional, até à Ribeira do Mosteiro, em que algumas questões de segurança, para os alunos e para o habitat, foram abordadas.

Após a visita a este EPN e da explicação de algumas medidas no âmbito do projecto, os alunos puderam cumprir a tradição e mergulhar nas águas frescas da área. Para além destes, professores e funcionários não quiseram ficaram de fora do mergulho.
Saiba mais sobre o projecto: rupis.pt

Semana de Investigação dos alunos da VHL na Reserva da Faia Brava

Durante os dias 23 de Maio a 02 de Junho, a ATNatureza recebeu, no âmbito do projecto LIFE "Club de Fincas por la Conservación del Oeste Ibérico", uma turma de estudantes da universidade holandesa VHL para a realização de trabalhos de investigação.

A visita destes alunos, do curso de 'Florestas Tropicais', insere-se no programa de estudo da disciplina de 'Ciências Aplicadas', cujo objectivo é proporcionar a estes experiência na elaboração de um projecto de investigação, desde o desenho da amostragem à recolha e análise de dados e respectiva apresentação de resultados.

Nesse sentido, os 17 alunos holandeses tiveram como objecto de estudo a Reserva da Faia Brava, onde puderam explorar os efeitos do pastoreio extensivo com grandes herbívoros (garranos selvagens) e da silvicultura preventiva na estrutura da Reserva e, os efeitos da cobertura de plantas aquáticas, nos charcos, na diversidade de répteis e anfíbios.

No primeiro dia da sua estadia, os alunos, acompanhados de três professores, visitaram a Reserva da Faia Brava na presença dos técnicos da ATNatureza, onde puderam conhecer o trabalho realizado no âmbito do projecto LIFE "Oeste Ibérico", os diferentes habitats, fauna e flora e a história da associação e da Reserva.

Através de um dos sócios fundadores puderam, ainda, perceber o trabalho de prevenção de incêndios levado a cabo pela ATNatureza e que, ao longo destes 18 anos de existência, tem diminuído drasticamente o número de ignições da região. Ainda sobre este tema, os alunos puderam visitar algumas áreas afectadas pelos incêndios de 2017 na ZIF de Algodres/Vale de Afonsinho e perceber os efeitos do fogo na floresta mediterrânica e estratégias e adaptações das suas espécies.

Durante a sua estadia pela Reserva, os alunos puderam recolher dados para os seus projectos de investigação, tendo terminado esta com uma apresentação dos seus resultados aos membros da equipa da ATNatureza e colegas.

A ATNatureza ficou bastante satisfeita com esta visita que, para além de apoiar os alunos no seu percurso académico, permitiu ainda promover a reserva como lugar de investigação e a economia local da área, fortalecer as colaborações académicas que a associação tem fomentado há vários anos, aumento da base de dados interessantes e relevantes para a monitorização do trabalha já realizado e a difusão do projecto LIFE "Oeste Ibérico".

XI Curso de Aves de Rapina: Um sucesso do Birdwatching

Realizou-se, durante os dias 22, 23 e 24 de Junho, o XI Curso de Identificação, Biologia e Conservação de Aves de Rapina, inserido no âmbito dos projectos LIFE "Rupis" e "Club de Fincas por la Conservación del Oeste Ibérico", em Figueira de Castelo Rodrigo.

O curso, que contou com a participação de vários especialistas na área, tais como Jorge Amaral, Carlos Pacheco e Ricardo Brandão e, com a assistência de cerca de uma dezena participantes, esteve dividido, durante estes três dias, entre sessões teóricas e práticas.

A maior novidade da edição deste ano foi a sessão de abrigo fotográfico "Alimentação de Aves Necrófagas" (inserida no projecto LIFE "Club de Fincas por la Conservación del Oeste Ibérico"), no Campo de Alimentação de Aves Necrófagas, oferecida aos primeiros seis inscritos e, que lhes proporcionou um contacto directo e próximo de observação das várias aves que se iam mostrando pelo alimentador.

Esta actividade - a primeira desta XI edição a ser dinamizada, realizada na manhã de sexta-feira (22) -, foi muito importante para estes participantes, pois permitiu que estes começassem o curso mais familiarizados com as espécies abordadas e mais entusiasmados.

Para além desta experiência, o curso propriamente dito começou na sexta-feira, ao início da tarde, com recepção e apresentação do primeiro módulo teórico aos participantes, na Casa da Cultura de Figueira de Castelo Rodrigo.

O primeiro módulo teórico começou, então, por fazer a contextualização das aves da região, com o painel de "Ecologia, Biologia e Conservação de Aves de Rapina Diurnas no Parque Natural do Douro Internacional", pelo ICNF, seguido das apresentações dos projectos LIFE "Rupis" pela SPEA e "A conservação de abutres na Europa", pela Vulture Conservation Foundation (VCF).

Depois destas, foi realizada uma apresentação sobre as Aves de Rapina Nocturnas, como introdução ao segundo módulo prático.

A sessão prática de "Observação e Chamamento de Aves de Rapina Nocturnas", ocorrido entre Vale de Afonsinho, Mata de Lobos e Algodres, começou com uma actividade de devolução à natureza. Desta vez, a felizarda foi uma Corucha do Mato, batizada no local de "Marofa", pelos participantes.

Ao longo deste percurso, o grupo teve a oportunidade de escutar mocho-de-orelhas, noitibó-de-nuca-vermelho, noitibó-europeu e mocho-galego, fechando assim o primeiro dia do curso.

No sábado (23), o dia começou com o terceiro módulo prático "Aves de Rapina Agroflestais e Rupícolas", em Mata de Lobos, com paragem para o almoço na capela de Santo André, e passou, no regresso, pela Barragem de Santa Maria de Aguiar. Durante este trajecto, os participantes puderam observar as três espécies de abutres, o grifo, o britango (ou abutre do Egipto) e o abutre-preto e, ainda a rainha das águias em Portugal, a águia-real.

À tarde, já de regresso à Casa da Cultura, decorreu o segundo e último módulo teórico do curso onde foram apresentados os temas "Comportamento Animal: dificuldades no campo" e "Identificação de Características através de Material Biológico", pelo CERVAS.

De forma a fomentar o convívio e a partilha de conhecimentos entre participantes e formadores, à noite, foi organizado um jantar com o grupo todo, no qual todos aproveitaram para descontrair e descansar.

No último dia desta XI edição, domingo (24), durante a manhã, o grupo seguiu em direção ao EPN (Espaço Para a Natureza) Ribeira do Mosteiro, para "Identificação de Aves de Rapina do Parque Natural do Douro Internacional". Antes de chegar à Ribeira do Mosteiro, numa pequena paragem, o grupo teve a oportunidade de assistir aos voos de um tartaranhão-caçador macho - espécie cada vez mais rara na região -, e ainda de observar águias-calçadas, milhafres-pretos, um bútio-comum e o bútio-vespeiro, uma espécie não muito comum nesta região.

Na Ribeira do Mosteiro, para além das aves rupícolas puderam observar o falcão-peregrino - animal mais veloz do planeta -, e do peneireiro-vulgar. Para além destas, destaca-se a observação de um andorinhão-cafre, o primeiro registo neste EPN.

Depois do piquenique no Miradouro do Penedo-Durão e sob o tema "Observação de Aves de Rapina do Parque Natural Arribes del Duero", o grupo seguiu para Espanha onde teve a honra de apreciar um casal de águias-de-Bonelli, formado por duas aves adultas muito confiantes.

Em suma, durante o fim-de-semana, para além da aquisição de conhecimentos vários e muito importantes, os participantes puderam somar um total de 13 espécies de rapina observadas, sem esquecer ainda a observação de muitas mais, como o andorinhão-real, o mergulhão-de-crista, o melro-azul, o corvo, a felosa-de-papo-branco, um bando de seis marrequinhas, o papa-figos, e a calhadrinha-comum.

No que toca ao 'birdwatching', esta XI edição do Curso de Identificação, Biologia e Conservação de Aves de Rapina foi um sucesso, tendo sido observadas todas as espécies de rapina abordadas durante o mesmo.

A ATNatureza quer agradecer a todos os participantes, formadores, colaboradores e equipa pela participação nesta edição; sem o apoio de todos não seria o sucesso que foi.